O samba e suas vertentes

October 16, 2018

O samba é um gênero musical de origens africanas. Basicamente tocado com instrumentos de percussão, violão e cavaquinho, o samba é uma das principais manifestações culturais populares brasileiras. Representante legítimo da cultura negra do Brasil, o gênero tem como alicerce o samba de roda nascido no Recôncavo Baiano.

 

Em 1917, Baiano gravou o primeiro samba no Brasil com o título “Pelo Telefone”, de Mauro de Almeida e Donga. Em 1920 surgia o samba-canção, e, na década seguinte foi a vez do surgimento do samba-enredo.

 

Nessa era o samba passou a ser bastante tocado pelo rádio, em plena difusão pelo Brasil. Com isso foi se popularizando nas vozes dos grandes nomes que iam surgindo como Noel Rosa, Cartola, Dorival Caymmi, Ary Barroso e Adoniran Barbosa, entre outros.

 

Com o passar dos anos o samba moderno urbano surgido no Rio de Janeiro, a partir do século XX, foi assimilando às novas tendências do gênero, com denominações próprias como veremos a seguir:

 

SAMBA-RAP

 

Bastante popular nas favelas, o samba-rap tem entre seus nomes mais famosos Marcelo D2, Rappa e Emicida. Foi desenvolvido na década de 1990, a partir da mistura da marcação do samba com a do hip hop e com algumas influências do funk.

Marcelo D2

 

SAMBA-REGGAE

 

O Samba-reggae surgiu na Bahia, numa fusão entre o samba brasileiro e o reggae jamaicano, e não tem nada a ver com o Axé Music. Entre seus precursores estão o Olodum, Margareth Menezes, Daniela Mercury, Carlinhos Brown, Timbalada, Banda Mel e Banda Reflexu’s.

Margareth Menezes

 

SAMBA JAZZ

 

O ritmo é um acasalamento entre o samba e o jazz, criado nos anos de 1960 e, tendo como alguns de seus representantes Sérgio Mendes e Zimbo Trio.

Sérgio Mendes

 

SAMBA-FUNK

 

Resultado da elevação do samba brasileiro ao funk norte-americano, o samba-funk foi criado na década de 1960 pelo pianista Dom Salvador e seu Grupo Abolição, mais tarde denominada Banda Black Rio.

Dom Salvador

 

SAMBA DE TERREIRO

 

Este samba também é conhecido como samba-de-quadra, surgido na década de 1930 nos terreiros das primeiras escolas de samba do Rio de Janeiro.

Mariane De Castro

 

SAMBA-CHORO

 

Também surgido na década de 1930, o Samba-Choro é resultante das fusões dos elementos rítmicos e da formação instrumental do samba com o choro.

Jacob do Bandolim

 

SAMBA-DE-RODA

 

O Samba-de-Roda difere um pouco do Samba-Chulado. Os dois são originários do estado da Bahia. Enquanto o samba de roda traz em seu estilo musical características ligadas à capoeira, normalmente tocado por um conjunto de pandeiro, atabaque, berimbau, viola e chocalho, como o acompanhado, principalmente, por canções e palmas, o samba de chula é um samba com melodia mais complexa e extensa que o samba-de-roda comum, onde a dança só tem início após a declamação, e só uma pessoa por vez samba no meio da roda, ao som dos instrumentos e de palmas.

Harmonia do Samba

 

SAMBA-DE-BREQUE

 

A parada é a principal característica desse estilo para as frases apenas faladas que conferem graça e malandragem do intérprete, e, coube ao cantor Luiz Barbosa inaugurar esse estilo de interpretar o samba-de-breque, que também usava seu chapéu de palha para batucar o ritmo.

Luiz Barbosa

 

SAMBA DE RAIZ

 

O Samba de Raiz é a expressão mais autêntica da cultura musical brasileira. Nele são introduzidos os sons do pandeiro de couro, do cavaquinho, da cuíca, do surdo, do violão e, também, do violão de sete cordas. Mas além desses instrumentos, os integrantes do grupo Fundo de Quintal passaram a introduzir, também, o banjo, o pandeiro sintético, o repique de mão e o tan tan, formando uma harmonia maior em seus trabalhos.

Fundo de Quintal

 

SAMBA DE PARTIDO ALTO

 

Com letras improvisadas, temas marcantes e realísticos, o samba partido alto é um estilo de samba surgido no início do século XX, e tão bem cantado por Moreira da Silva, Martinho da Vila e Zeca Pagodinho.

Zeca Pagodinho 

 

SAMBA CANÇÃO

 

O Samba Canção surgiu na década de 1920. Com ritmos lentos e letras sentimentais e românticas se transformou em grande sucesso no vozeirão de Nelson Gonçalves. Milton Carlos, já na década de 80, também foi um grande intérprete do Samba Canção.

Milton Carlos

 

SAMBA BOSSA NOVA

 

É o samba da sonoridade inquestionável de João Gilberto, surgido de um movimento da MPB do final da década de 1950 em que o próprio João Gilberto mais Tom Jobim, Vinícius de Moraes e jovens compositores de classe média da zona sul do Rio de Janeiro, se reuniam para compor, tocar e cantar.

João Gilberto

 

SAMBA-EXALTAÇÃO

 

O Samba-Exaltação tem como um de seus principais sucessos a música "Aquarela do Brasil", de Ary Barroso, gravada por Francisco Alves em 1939 e por outros artistas do samba moderno. Na voz de Gal Costa se tornou um dos sambas mais conhecidos lá fora.

Gal Costa

 

SAMBA DE GAFIEIRA

 

Este é o samba das danças de salão, criado em 1940,  e tem como um dos principais aspectos a atitude do dançarino frente a sua parceira. Na hora da dança o homem conduz sua dama, e nunca o contrário.

Zé Keti 

 

SAMBALANÇO

 

Surgido nos anos 50, com forte influência do jazz, e usando misturas de elementos de outros estilos, o sambalanço tem como um de seus principais representantes o cantor e compositor Jorge Ben Jor.

Jorge Ben Jor

 

SAMBA CARNAVALESCO

 

Representante legítimo dos enredos das escolas de samba no carnaval, e também das marchinhas feitas para dançar e cantar nos bailes carnavalescos, tem como alguns exemplos Balancê, Cabeleira do Zezé e Cidade Maravilhosa.

Beth Carvalho

 

SAMBA-ROCK

 

O Samba-Rock é o samba caracterizado pelas paradas rápidas e com a indução de comentários. Entre seus principais representantes estão o mestre Moreira da Silva, Seu Jorge e Bebeto. "O swingado de Bebeto era inquestionável."

Bebeto

 

PAGODE

 

O ritmo nasceu no final dos anos 70, com muita força no rádio, e, praticamente, dominando a décadas seguintes. Com a utilização de instrumentos com sons eletrônicos e contando com vários nomes importantes, dentre eles Fundo de Quintal, Negritude Jr., Só Pra Contrariar, Raça Negra, Katinguelê, Patrulha do Samba, Pique Novo, Travessos e Art Popular, o pagode se popularizou, tornando-se um produto altamente comercial.

Raça Negra

 

No samba "Não Deixe o Samba Morrer", de Edson Conceição e Aloísio Silva, Alcione já dia: o samba não pode acabar. E no batuque do samba, o samba está sempre criando raiz.

 

As décadas de 60, 70 e 80 trouxeram para o samba grandes revelações, influenciando também as gerações futuras. Muitos nomes importantes surgiram nessas décadas, como: Clara Nunes, Elis Regina, Paulinho da Viola, Jorge Aragão, João Nogueira, Beth Carvalho, Elza Soares, Dona Ivone Lara, Clementina de Jesus, Luiz Ayrão, Jair Rodrigues, Djalma Dias, Alcione, Bebeto, Cyro Aguiar, Grupo Fundo de Quintal, Benito di Paula, Jorginho do Império, Leci Brandão, Neguinho da Beija Flor, Originais do Samba, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila e João Bosco, dentre outros, para somar às gerações passadas as grandes obras criadas em prol do samba, com tantos nomes importantes como Pixinguinha, Ataúlfo Alves, Carmem Miranda, Elton Medeiros, Nelson Cavaquinho, Lupicínio Rodrigues, Aracy de Almeida, Isaura Garcia, Candeia, Nelson Sargento, Wilson Moreira, Elizeth Cardoso, Jacob do Bandolim e Lamartine Babo.

 

A cada década novos talentos continuam surgindo e segurando essa bandeira tão bem representada por nomes como: Péricles, Diogo Nogueira, Só Pra Contrariar, Belo, Grupo Revelação, Arlindo Cruz, Eliana de Lima, Dudu Nobre, Raça Negra, Jorge Aragão, Sorriso Maroto e Thiaguinho, dentre outros.

Thiaguinho

 

Tags:

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Festival de Inverno de Monte Sião

May 7, 2019